REME - Revista Mineira de Enfermagem

ISSN (on-line): 2316-9389
ISSN (Versão Impressa): 1415-2762

QUALIS/CAPES: B1
Periodicidade Continuada

Enfermagem UFMG

Busca Avançada

Volume: 13.1

Voltar ao Sumário

Editorial

Educação permanente: uso das tecnologias de informação e comunicação como ferramenta para capacitação profissional

Eliane Marina Palhares GuimarãesI; Solange Cervinho Bicalho GodoyII

IEnfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora Adjunto da Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais. elianemg@enf.ufmg.br
IIEnfermeira. Mestre em Enfermagem. Professora Assistente da Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais. ange@enf.ufmg.br

 

O desenvolvimento científico e tecnológico na sociedade atual vem causando transformações constantes nos ambientes de trabalho e conseqüentemente, exigindo um profissional capaz de adaptar-se às mudanças e motivado a continuar aprendendo ao longo da sua vida. Neste contexto, o aparecimento de recursos interativos e de bases de formação contribuem para potencializar a difusão do conhecimento e superar a relação tempo e espaço, oferecendo tanto oportunidades para construção e acesso ao conhecimento, como possibilitando interações individuais e coletivas de forma integrada e permanente.

No processo de educação dos profissionais da saúde entende-se como educação permanente qualquer tipo de atividade de capacitação caracterizado pela relação com o processo de trabalho institucional. Desta forma, a educação permanente objetiva a transformação da prática e adota como pressuposto pedagógico a discussão da realidade a partir dos elementos que façam sentido para os sujeitos envolvidos no processo de busca na melhoria da qualidade dos serviços e das condições de trabalho. Neste processo de educação, a utilização de uma tecnologia de comunicação de ponta deve estar sustentada numa concepção de ensino que possibilite uma aprendizagem significativa, apoiada no pensamento reflexivo, dialógico, contextual, colaborativo e construtivo. O uso da tecnologia como ferramenta mediatizadora desses processos educacionais tem sustentado as iniciativas de capacitação, em especial, aquelas de educação à distância, apresentando-se como mais uma alternativa de atualização profissional.

Na enfermagem, o uso das tecnologias de comunicação e informação é uma estratégia que está sendo empregada com o objetivo de responder as necessidades de capacitação definidas pelo cenário da profissão no país. É importante ressaltar a composição da força de trabalho, constituída na sua maioria por profissionais de nível médio, a distribuição geográfica dos profissionais, que usualmente concentram-se nos grandes centros urbanos, em especial nas regiões sudeste e sul, e a grande diversidade de ações desenvolvidas pelos profissionais que envolvem atividades de menor complexidade até aquelas de maior complexidade e risco para o paciente. Ressaltam-se ainda as oportunidades de capacitação oferecidas pelos órgãos formadores concentrando-se em regiões mais desenvolvidas do país, e utilizando-se de metodologias presenciais que exigem do profissional o seu afastamento do serviço, bem como, investimento financeiro.

Portanto, a incorporação tecnológica vem responder à necessidade de ampliação das oportunidades de participação dos profissionais de enfermagem em programas de capacitação, possibilitando sua inserção em atividades de educação. Dentre as vantagens deste modelo são destacadas a utilização da World Wide Web como ferramenta para disponibilizar as atividades de capacitação; a possibilidade de um trabalho multiprofissional; a facilidade de acesso, especialmente, em lugares carentes de especialistas; a relação custo/benefício favorável, uma vez que tende a ser relativamente cada vez mais baixa; alcance de um grande número de pessoas ao mesmo tempo, em locais diferentes; a inovação no pressuposto pedagógico, que exige do profissional uma participação ativa e co-responsabilidade no processo de aprendizagem; a discussão de temas direcionados para os problemas do cotidiano de trabalho, na busca de soluções; a avaliação da atividade de aprendizagem e transformação da prática ao longo do processo de educação, ressaltando as oportunidades de retroalimentação, garantindo assim, a efetividade.

Diante deste cenário, novas abordagens do processo de educação devem ser adotadas para garantir o acesso à formação daqueles que ainda não a possuem, como também educação permanente daqueles que atuam em unidades formadoras de recursos humanos e prestadoras de serviços de saúde. Acredita-se que estas tecnologias permitem visualizar novas formas de prestar a assistência, considerando as necessidades dos profissionais e, com isso, colaborando para a transformação das realidades práticas locais.

Logo REME

Logo CC BY
Todo o conteúdo da revista
está licenciado pela Creative
Commons Licence CC BY 4.0

GN1 - Sistemas e Publicações